segunda-feira, 18 de março de 2013

A Parábola da Figueira

Na terceira semana da Quaresma, exploramos o sentido da Parábola da Figueira. Assim, refletimos sobre a necessidade de "deitar adubo" nas nossas vidas, para nelas vermos "nascer frutos".
Foi colocada uma figueira no salão de jogos da nossa escola. Os alunos dos 1.º e 2.º anos, deitaram o adubo: a paciência, a tolerância, o carinho, a alegria, a bondade, o diálogo, a concórdia...
Por sua vez, os alunos dos 3.º e 4.º anos deixaram que nascessem os frutos da figueira: a Paz, a Amizade, o Respeito, a Justiça...
Parábola da Figueira
«Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi procurar os frutos que nela houvesse, mas não os encontrou.
Disse então ao vinhateiro:
 ‘Há três anos que venho procurar frutos nesta figueira e não os encontro. Deves cortá-la. Porque há-de estar ela a ocupar inutilmente a terra?’.
Mas o vinhateiro respondeu-lhe:
‘Senhor, deixa-a ficar ainda este ano, que eu, entretanto,
vou cavar-lhe em volta e deitar-lhe adubo.
Talvez venha a dar frutos.
Se não der, mandá-la-ás cortar no próximo ano».
(Lc 13, 1-9)

Sem comentários:

Enviar um comentário